quarta-feira, 22 de maio de 2013

Fico com pena

daquelas pessoas que acham que vão fazer muita falta e que, se falarem em ir embora, pensam que meio mundo se vai lançar aos seus pés implorando que fique, enquanto o restante meio tenta a imobilização, tal é a angústia de imaginar a vida sem a sua presença. Ficam ali a sonhar com pedidos desesperados, com elogios rasgados, fazem bluff, do mau, e sucede que o mundo inteiro se está a cagar. É assim que se descobre, depressinha, que ninguém se rala.

7 comentários:

A Chata disse...

É uma má forma de se apereceberem que não há ninguém insubstituível.

Bombocaa disse...

Lololol

^Não sei se é pr alguém da blogoesfera, mas se for é uma boca mt bem mandada!

:)

Arisca disse...

Chata, precisamente!

Bombocaa, na blogosfera há casos assim também. Mas com tanto blog bom para ler, não é um que faz falta. Pena que nem todos se capacitem disso ;) Na vida, como na blogosfera, a malta avalia mal o possível outcome de um bluff, foi o caso.

A Chata disse...

Arisca, publica lá isto:
*aperceberem.

Jasus, que susto quando li o meu comentário!

Arisca disse...

ahahahahah acontece! :p

Naja Capelo disse...

lolada! :) Eu até me vou ajoelhar.... mandar-me para o chão, estrabuxar-me toda, espumar e revirar os olhinhos... A RIR!

Arisca disse...

Naja, estava a ver que era um AVC :p Estás fina pah?

Web Analytics