terça-feira, 12 de março de 2013

Olhem, vocês sabem lá o desgosto que me vai aqui no coração

Eu achava, como toda a alminha acometida dessa grande patologia que é a paixão, que eu e o meu Caetano éramos como a praia e o mar, o frio e as mantas, a chuva e as folgas, o sol e as roupas frescas, os enchidos e o pão rústico, os saldos e a blogosfera, a Lili Caneças e as plásticas, as florzinhas e as abelhinhas, perfeitos um para o outro, portanto. Achava que gostávamos das mesmas coisas (mesmo quando me apercebi que não conheço metade das bandas que o homem jura a pés juntos que são o melhor som de sempre e mais além), que éramos compatíveis em tuditudo (mesmo quando o homem quis comprar um par de botas e correu as lojas todas da baixa arrastando-me com ele nessa tortura) e que jamais daríamos pelo facto de sermos duas pessoas diferentes, tal é a força centrípeta que amarfanha as nossas almas uma contra a outra. Pensava que nós, estas pessoas perfeitas uma para a outra, jamais descobriríamos diferenças entre os nossos próprios eus. Vivo nesse lindo sonho há meses e estava-me a custar acordar, mas ontem fui ao hipermercado com ele e o despertar foi tão violento que nem tive tempo de limpar o fio de baba que me escorria pelo queixo. Pois que me encontro aqui de coração despedaçado porque o meu Caetano não só não concordou com o meu método de fazer compras (biaaaatch), como ainda tem a ousadia de me mandar fazer as minhas primeiro e depois as dele para não dar confusão. Não saberá este homem esculpido por anjinhos papudos que sofro do coração e que desta maneira ele se me parte e é um aborrecimento limpar os cacos? Não saberá este namorado fofinho que eu já faço compras desde antes de ele saber acender um fogão e que o meu método será sempre melhor que o dele que é baseado em sistemas de compras online? Não saberá ele que a compatibilidade de um casal no corredor dos detergentes é o barómetro da relação? Não terá este homem amor à vida? Alguém lhe pode explicar que isto reduz drásticamente o apetite sexual de uma mulher e que nao há libifeme que nos salve das garras da frigidez?

7 comentários:

O Blog da S. disse...

Ahahaah! Lá por casa, sou eu quem faz as compras.

A Chata disse...

Estou solidária! Mas arranjo-te qualquer mais forte que Libifeme :p

J. disse...

Vá, não sejas tão rígida. Podes sempre fazer à tua maneira e depois mostrar-lhe no final q tinhas razão :D

pastora disse...

porque é que os homens insistem em querer ter razão em tudo?

Arisca disse...

S., aqui cada um tem de comprar para a sua casa :)

Chata, credo! :p

J., não tens vergonha de só aparecer agora, não? :D

Pastora, não sei. É tipo um mecanismo de defesa, com certeza. Não deve ser nada fácil estarem sempre errados!

Vera, a Loira disse...

E eu que já começava a apostar no Caetano para presidente da liga das apaixonadas da blogosfera, porra, agora estragou tudo, nem os enchidos o safam.

Arisca disse...

Vera, os enchidos dão-lhe muitos pontos pah!

Web Analytics