sexta-feira, 15 de março de 2013

Valeu a pena esfrangalhar um pé,

quase levar na boca de uma família de ciganos e estar cheia de dores para sobreviver e ver o meu Caetano a tomar conta de mim como se toma conta de quem se gosta muito. Eu sou um acidente à espera de acontecer. A verdade é que sou dada a desastres e coisas estranhas que não vejo sucederem a mais ninguém. Também é verdade que o cansaço me tira o norte e me confere, descobri ontem, uma certa atracção pelo abismo, uma certa tendência suícida, se preferirem. Ontem fodi um pé numa valeta, vi estrelas no chão quando ainda era de dia e nem no céu seriam de esperar, e vi uma família de ciganos que, com o tamanho das dores, ainda pensei que fosse alucinação. Alucinação porquê? Porque uma puta achou oportuno desatar a rir alto e em bom som do meu tropeço. Ora, eu acho que qualquer pessoa se inibe de rir numa situação destas mas até compreendo se não conseguir evitar. O que não compreendo é que, quando lhe pergunto se gostava que se rissem se fosse ela a foder o pé, ela me responda com outra gargalhada. No entanto, também não é compreensível que eu lhe responda com "Foda-se, realmente ninguém é pobre senão de juízo. És estúpida como a merda." Ora, antes que me venham cá dizer que eu sou preconceituosa, adianto já que ela me respondeu com "Aiiiie, que tu tens desejos de morteeeee". E mais vos digo, pensem lá se depois disso também não receariam levar uma chumbada de caçadeira nas nalgas. Eu não, eu respondi "O que é que pretendes fazer em relação a isso?" e ganhei o estatuto de maluca às portas de morte e fui deixada em paz. Mas o que eu queria mesmo dizer é que o meu Caetano me ralhou hoje de manhã por eu me estar a arrastar para vir trabalhar, que ontem foi a minha casa buscar roupa para eu poder ficar na dele que é mais perto do meu trabalho, que foi à farmácia por mim, que me preparou o que comer e ainda o fez de boa vontade. Não bastasse o fumeiro, o meu homem também faz de enfermeiro.

6 comentários:

A Chata disse...

Tu queres mesmo perder a vida a menos que o teu Caetano também seja lutador e dê cabo da ciganada...

princesadepantufas disse...

Ai Arisca ainda bem que não fui eu a ver-te a cair, porque eu não aguento eu rio-me imenso quando vejo tralhos, não é por mal mas não consigo mesmo evitar então começo a chorar com a força de rir e desato aos soluços a pedir desculpas mas que não aguento mesmo!
Uma vez vi a minha avó cair de cú no chão, mesmo com o ossosinho na calçada que até faz falta de ar e ela a pedir-me ajuda e eu agarrada à barriga e não me conseguia mexer com o ataque de riso que me estava a dar... eu própria já cai dum muro (estava sentada em cima dele) para cima dumas roseiras e fiquei lá no meio toda arranhada e a sangrar e ria-me que nem uma perdida... não aguento! Tralhos para mim são o Top da risota!
Só de te imaginar dá-me vontade de rir!

Maria do Mar disse...

Nunca te admirei tanto como agora arisca, depois de ler o teu ato hérculo.

Eu limitava-me a esfrangalhar o pé, que depois da gargalhada, não me caberia nem uma ervilha no bumbum.

Arisca disse...

chata, o cansaço faz-me valente :D

Princesadepantufas, és uma desgraçada pah!

Maria do mar, eu estava tão danada que nem reflecti grande coisa. :/

Dani disse...

Tu tens desejos de morte mulher! Vale-te o Caetano que parece um gajo à séria.

Arisca disse...

Dani, é o maior! *.*

Web Analytics