segunda-feira, 22 de abril de 2013

Alguém precisa de ajudar o cego rapper do metro

e não é com uma moedinha, não, é explicando que se apanham mais moscas com mel do que com vinagre. Tipo, alguém com umas noçõezinhas básicas de marketing podia operar ali um milagre. Ficar frustrado e desatar a gritar "Enquanto não regar alguém com gasolina para lhe pegar fogo e me matar a seguir, não tenho direito a nada", não toca o coração do passageiro do metro. Excepto o da senhora idosa que já estava a olhar de soslaio à procura de um bidãozito de combustível em plena taquicardia. Gritar este género de disparates não surte o efeito de generosidade pretendido, pelo contrário, duas pessoas recolheram o dinheiro que iam dar só por causa do cheiro das tintas. O Sr. tem de ter calma que a vida está fodida e custa a ganhar a todos e, além disso, se abrisse a carteira daqui até ao trabalho a todos que me pedissem teria de me ir vender para o intendente para cobrir a despesa. Não sou uma pessoa insensível, que não, mas irritou-me um bocado ouvir aquilo. Compreendo que lhe estão vedadas praticamente todas as oportunidades de subsistir sozinho e o estado deveria ter uma responsabilidade social maior nestes casos mas eu só queria vir para casa sem apanhar malucos com ameaças de homicídios. Se houver por aí mais alguma alminha caridosa, que lhe explique que depois de se matar também não tem direito a nada a não ser um enterro, digam que vão da minha parte.

Adicionalmente, descobri o meu mais recente divertimento, entalar nas portas os espertalhaços que andam de metro à pala e se colam à malta para passar ao mesmo tempo. É giro, têm de experimentar.

4 comentários:

pastora disse...

é aquele que toca com facas e garfos e eu estou sempre a ver quando é a minha hora de ficar cega por causa dele?

Dani disse...

Não sabia que andar de metro era potencialmente perigoso. Mais vale ires a pé não vá o cego passar-se da marmita.

A Chata disse...

Esse jovem manda-nos para o caralho com uma facilidade que nem se sonha. Moedas para ele só se for no cu!

Arisca disse...

Pastora, é esse mesmo!

Dani, até me fazia melhor aos glúteos.

Chata, eu por acaso nunca o tinha visto num ataque de fúria mas enfim... correu mal.

Web Analytics